09 Ago 2017

Os acreanos têm os seus heróis e seus algozes, por Cel. Ulysses

Em meio à onda de violência que assola o nosso Estado, vejo o quanto a Segurança Pública está distante de uma visível e real valorização. Patente o desrespeito aos nossos verdadeiros Heróis, extensivo a sociedade que clama por segurança.Em meio à onda de violência que assola o nosso Estado, vejo o quanto a Segurança Pública está distante de uma visível e real valorização. Patente o desrespeito aos nossos verdadeiros Heróis, extensivo a sociedade que clama por segurança.
Sem a condição mínima e razoável para execução do trabalho, a maioria dos nossos Heróis da Policia Militar, se quer possuem o fardamento(a identidade, o manto sagrado, uma parte da sua "armadura"), além de outras várias ferramentas úteis para o trabalho como Viatura, Motocicletas, Treinamento, ressalvo outras necessidades.
Temos nossos heróis e eles existem, são reais, e merecem mais respeito! Lutam uma Guerra que não é apenas externa, mas também interna, pois o inimigo é o Estado. Não obstante tal fato, somos obrigados a aturar discurso político ridículo de militante de esquerda a favor da liberação da maconha.
O que o Acre precisa discutir hoje é Segurança e não Maconha. Mas isso é apenas o reflexo da importância dada pela atual Gestão Esquerdista do Nosso Estado à Segurança Pública.
Liberar maconha é afrontar e não respeitar as centenas e milhares de famílias que sofrem diariamente com entes próximos que são viciados por essa droga e afins que causam dor, sofrimento e morte.
Essa discussão é tão fútil e inútil que só poderia ser trazido à baila por militantes de esquerda que sempre quiseram impor o caos no seio da sociedade, senão, vejamos:  
Já está comprovado cientificamente em estudos coordenados pela OEA (Organização dos Estados Americanos) que todos os países onde houve algum nível de liberação das drogas, o consumo aumentou notadamente entre os jovens, concomitantemente os índices de violência também aumentaram. "Nos lugares onde houve maior tolerância com a maconha, seu consumo aumentou em razão da queda no preço do produto, verificando-se, também, um maior consumo de outras drogas perigosas". Isso ocorreu em lugares como Portugal, Áustria, Holanda, Reino Unido, Estados Unidos.
No Uruguai o Diretor Nacional de Polícia, Mario Layera, afirmou que a legalização da maconha, aprovada em 2013, não implicou diretamente na queda do tráfico desta droga e que o narcotráfico aumentou o número de assassinatos, sendo que em 2016 foi a droga mais confiscada que acarretou um aumento nos níveis de crimes e homicídios. 
Por último a Holanda reconheceu ter sido um grande erro legalizar a maconha e a prostituição e iniciou ações de reparação dos danos, enquanto isso aqui no Brasil tem gente fazendo passeata pela legalização dessa droga.

Cúmulo do ridículo.


Cel Ulysses Araújo

Escrito por  1 Comentário
Avalie este item
(0 votos)

1 Comentário

  • Link do comentário Quero voto postado por Quero voto Quarta, 09 Agosto 2017 16:21

    Estou desesperado por voto!
    Até ano passado bajulava o governo, agora sou oposição!
    Meus textos são pobres e com erros básicos de português.
    Tento fazer a tropa votar em mim falando o que querem ouvir. Depois esqueço eles de novo.

    Relatar

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.