12 Jun 2018

ARTIGO Receberá Jorge o que é de Jorge?

Por Edinei Muniz

Percebo um fato bastante curioso nas manifestações dos eleitores do Jorge Viana. Aqueles que dizem que votam, e o volume de eleitores nessa condição parece ser ainda bem grande, não esquecem de fazer uma ressalva perigosa, que em síntese pode ser traduzida mais ou menos assim: 'voto, mas não voto achando muito bom não'. É o famoso voto de nariz torcido.

E é aí, em meio a tal instabilidade, diante de votos não muito bem consolidados, onde pode residir a cereja do bolo ou a pedra no sapato do nobre senador, caso o mesmo siga ignorando a dura conjuntura que o cerca

Vejamos. Quem manifesta intenção de voto fazendo ressalvas, claro e obviamente, pode mudar de opinião ao longo do processo. Essa tendência à volatilidade pode ser a pedra no sapato do petista, já que, como parece bem fácil de perceber, os motivos determinantes das perigosas ressalvas - que podem inclinar para a  mudança confirmatória negativa -  deverão, evidentemente, ser explorados pelos seus inúmeros adversários.

No entanto, se Jorge Viana, com alguma humildade, tentar entender a rota motivadora que consolidou tal discernimento (voto declarado mas com ressalvas), é possível que o mesmo encontre o ponto ideal de repaginação a ser ofertada à sociedade. Engenharia difícil. E como será difícil tal engenharia. Mas, como se sabe, não é recomendável subestimar Jorge Viana.

De outra banda, percebe-se, até muito facilmente, ressalvas positivas, que surgem acompanhadas de razoável carga de boa vontade. Tais ponderações inclinam para o reconhecimento da importância, do preparo e também da utilidade do senador seja em que governo for.

É, mas o Senador precisa lembrar que essa boa dose de boa vontade não é infinita e seus adversários sabem disso.

Será que Jorge Viana, o mentor da maior hegemonia política já vista no Acre, e que garantiu sobrevida de 20 anos ao projeto de poder do PT, conseguirá sobreviver ao juízo final dos dias que virão?

Escrito por  0 Comentário
Avalie este item
(1 Votar)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

BANNER PP P