Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal
01 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
02 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
03 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
24 SP_OUTUBRO 2017

Em meio à onda de violência que assola o nosso Estado, vejo o quanto a Segurança Pública está distante de uma visível e real valorização. Patente o desrespeito aos nossos verdadeiros Heróis, extensivo a sociedade que clama por segurança.Em meio à onda de violência que assola o nosso Estado, vejo o quanto a Segurança Pública está distante de uma visível e real valorização. Patente o desrespeito aos nossos verdadeiros Heróis, extensivo a sociedade que clama por segurança.
Sem a condição mínima e razoável para execução do trabalho, a maioria dos nossos Heróis da Policia Militar, se quer possuem o fardamento(a identidade, o manto sagrado, uma parte da sua "armadura"), além de outras várias ferramentas úteis para o trabalho como Viatura, Motocicletas, Treinamento, ressalvo outras necessidades.
Temos nossos heróis e eles existem, são reais, e merecem mais respeito! Lutam uma Guerra que não é apenas externa, mas também interna, pois o inimigo é o Estado. Não obstante tal fato, somos obrigados a aturar discurso político ridículo de militante de esquerda a favor da liberação da maconha.
O que o Acre precisa discutir hoje é Segurança e não Maconha. Mas isso é apenas o reflexo da importância dada pela atual Gestão Esquerdista do Nosso Estado à Segurança Pública.
Liberar maconha é afrontar e não respeitar as centenas e milhares de famílias que sofrem diariamente com entes próximos que são viciados por essa droga e afins que causam dor, sofrimento e morte.
Essa discussão é tão fútil e inútil que só poderia ser trazido à baila por militantes de esquerda que sempre quiseram impor o caos no seio da sociedade, senão, vejamos:  
Já está comprovado cientificamente em estudos coordenados pela OEA (Organização dos Estados Americanos) que todos os países onde houve algum nível de liberação das drogas, o consumo aumentou notadamente entre os jovens, concomitantemente os índices de violência também aumentaram. "Nos lugares onde houve maior tolerância com a maconha, seu consumo aumentou em razão da queda no preço do produto, verificando-se, também, um maior consumo de outras drogas perigosas". Isso ocorreu em lugares como Portugal, Áustria, Holanda, Reino Unido, Estados Unidos.
No Uruguai o Diretor Nacional de Polícia, Mario Layera, afirmou que a legalização da maconha, aprovada em 2013, não implicou diretamente na queda do tráfico desta droga e que o narcotráfico aumentou o número de assassinatos, sendo que em 2016 foi a droga mais confiscada que acarretou um aumento nos níveis de crimes e homicídios. 
Por último a Holanda reconheceu ter sido um grande erro legalizar a maconha e a prostituição e iniciou ações de reparação dos danos, enquanto isso aqui no Brasil tem gente fazendo passeata pela legalização dessa droga.

Cúmulo do ridículo.


Cel Ulysses Araújo

Publicado em Artigos

Informações adicionais

  • Post type Standard
24 SP_OUTUBRO 2017

Uma verdadeira força-tarefa foi montada em Rio Branco para combater a ação das facções criminosas, que agem em represália à instalação de bloqueadores de celulares nos presídios da capital. 430 homens das polícias militar e civil foram às ruas para garantir a segurança. 100 viaturas percorreram pontos críticos.

Acuados na capital, os bandidos correram para atacar no interior do estado.

O boletim do Sistema de Segurança divulgado na manhã desta terça-feira, 8, informa o seguinte: Em Rio Branco, foi registrada uma tentativa de incêndio em um caminhão, mas o Corpo de Bombeiros (CBMAC) controlou as chamas. Em Porto Acre, três ônibus da rede municipal de ensino foram queimados. No município de Senador Guiomard, ocorreu incêndio em uma fábrica de reciclados, que foi combatido pelo CBMAC com apoio de caminhões pipa.

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
24 SP_OUTUBRO 2017

Major da Polícia Militar, o deputado federal Wesley Rocha (PSDB) disse ao Blog do Evandro Cordeiro que o povo acreano não aguenta mais as “desculpas esfarrapadas” do governo sobre os atos de violência registrados recentemente, sob o comando das facções. “Eles vão para a TV dizer que está tudo sob controle ai mais tarde as facções mostram quem está no controle”, critica o deputado.

Major Rocha faz uma crítica ainda mais ácida, ao lembrar que o governador Tião Viana e “sua cúpula” têm mais policiais à sua disposição do que o efetivo, por exemplo, de Sena Madureira. “Eles não sentem na pele o que o povão sente. Estão cercados de segurança”, afirma.  

Os dias de terror vividos de sexta-feira para cá é culpa do governo do Acre, segundo o Major Rocha. “Não adianta eles culparem o governo federal. Quem tem que cuidar de nossa periferia e de nossa penal é o Tião Viana e a cúpula do PT, não o presidente Temer. Essa é outra desculpa esfarrapada”, disse.

 

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
24 SP_OUTUBRO 2017

Incêndio no Jordão

O vereador Guedes Oliveira (PSDB), de Jordão, utilizou seu espaço na tribuna da Câmara Municipal para requisitar mais um agente de polícia para a cidade.

Durante esta madrugada, uma residência foi incendiada. A proprietária da casa, sra. Laurinda Roque, escapou do incêndio, pois havia dormido na casa de um irmão.

Engana-se quem pensa que a violência acontece apenas na capital...

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
24 SP_OUTUBRO 2017

Um grupo de detentos do semiaberto, que cumprem pena na Unidade Prisional 4 (UP4), popularmente conhecida como Papudinha, aquela ali na entrada do residencial Ipê, tenta conversar com a juíza da Vara de Execuções Penais, Luana Campos.

Ontem, 6, à noite um grande número de presos não retornou ao presídio com medo de algum ataque de facção criminosa, que segundo eles, está na iminência de acontecer. 

Em outubro do ano passado, a mesma penitenciária foi invadida por um grupo criminoso.

Recentemente dois detentos foram executados na porta dos dois principais presídios da capital acreana, o Francisco d'Oliveira Conde e a UP4.

O Secretário de Segurança Emylson Farias passou a noite de quinta-feira, 6, nas ruas acompanhando operações policiais, mesmo assim, os reeducandos insistem em afirmar que um ataque está para acontecer.

O registro fotográfico é do competentíssimo repórter fotográfico Selmo Melo. Valeu, chapa!

 

 

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard