Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal
01 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
02 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
03 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
22 SP_OUTUBRO 2017

O senador Sérgio Petecão (PSD) disse ontem ao Blog do Evandro Cordeiro estar preocupado com essa contenda entre o Governo do Estado e o hospital Santa Juliana, que não terminou por meio de notinhas assinadas pelo secretário de Saúde, Gemil Júnior. Nos bastidores, a briga continua e a corda pode, pela primeira vez, no entender do senador, quebrar para o lado do governo. “É que esse governo do PT pode enganar a todo mundo, aliás, já enganou muita gente. Teve gente que foi tão enganada que até já morreu, agora eles enganar a igreja Católica, enganar as irmãs, enganar o bispo, isso dá um azar desgraçado”, afirmou Petecão.  

A questão entre as partes é que o governo deixou de repassar o dinheiro das cirurgias cardíacas e de uma série de outros exames. Por conta da falha no pagamento, a direção do hospital suspendeu o atendimento, gerando um desconforto terrível. Por isso a preocupação do senador Petecão. “Não enganem nosso bispo”, aconselhou o parlamentar.   

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
22 SP_OUTUBRO 2017

 

O senador Sérgio Petecão (PSD) disse ao Blog do Evandro Cordeiro nesta sexta-feira, 20, que não estar nem ai para essas pesquisas veiculadas nas redes sociais toda semana. O motivo de ele desconsiderar essas consultas é o mesmo de muitas pessoas, o fato de todo partido apresentar a sua e sempre com seu candidato na frente. “Todo partido faz uma pesquisa e diz que seu candidato está na frente. Meu partido está fazendo diferente. Estamos trabalhando, ao invés de pesquisa”, disse.

Sérgio Petecão assegura não estar nenhum pouco preocupado com pesquisa, e nem mesmo com seus adversários na disputa pelo Senado. Uns, segundo ele, tem rejeição acima da média, outros seus nomes nem aparecem na rua. “Então, meu irmão, não estou preocupado. Escreva ai que eu vou ser o primeiro nessas eleições. Vou chegar em primeiro”, afirma, otimista como ninguém.    

 

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
22 SP_OUTUBRO 2017

A prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino (PSD), tomou uma medida inédita no trabalho de recuperação de ruas de sua cidade: mandou fazer um asfalto “reforçado” na avenida Capitão Hipólito, a principal da cidade, para evitar ter que refazer todo ano. São pelo menos 834m, por 7m de largura feito com tudo em dobro. Segundo o engenheiro civil e secretário de Obras, Yan Silva, o processo de preparação da via exige uma atenção especial por uma razão elementar: o fato de a via ser a mais movimentada.

Marilete Vitorino nem gosta de tocar no assunto, mas ela não tem como esconder que recebeu uma cidade com suas vias em situação deplorável. “Tarauacá parecia a superfície da lua, de tantos buracos. E a prefeitura já poderia ter recuperado, não fosse a enchente do rio Tarauacá e se tivesse tido ajuda do governo”, assegura uma nota assinada pela assessoria de imprensa da prefeita.  

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
22 SP_OUTUBRO 2017

 

Escalada pela população do município de Tarauacá, 408 km distante de Rio Branco, para recuperar a cidade e, por conseguinte, a auto-estima dos moradores, a advogada Marilete Vitorino Siqueira é a prefeita do Acre mais imprensada dentre os alcaides das 22 cidades. Ela administra uma espécie de “panela de pressão”, porque seu município é, disparado, o mais politizado do Estado. Do vendedor ambulante às principais autoridades, inclusive as eclesiásticas, todo mundo respira política e tem um pitaco a dar. “A pressão é intensa, mas tenho que ter calma senão a gente pira”, diz ela, numa tranqüilidade digna de uma xícara de chá de cidreira. Aos dez meses à frente da prefeitura de Tarauacá, Marilete Vitorino, do PSD, partido do senador Sérgio Petecão, parece ter pano para as mangas para terminar o mandato e cumprir o que prometeu. Ela ainda tem pulso para administrar outra bala de nitroglicerina, a Amac, Associação dos Municípios do Acre, da qual é presidente. Veja o que ela diz em breve entrevista ao Blog:

Blog – A senhora vai segurar tanta pressão? Vejo que as pessoas aqui cobram a prefeitura com muita intensidade.

Prefeita Marilete Vitorino – Tenho que suportar, senão a gente pira. Eu quis esse desafio, então vamos cumprir nossa missão. Sou advogada, tenho costume com muita adrenalina.

Blog – Como a prefeitura tem respondido aos críticos?

Prefeita Marilete Vitorino – Essa pergunta é sempre boa porque me dá oportunidade de mostrar o que já fiz em dez meses. Vamos andar na cidade para você vê. Recuperamos as ruas, entregamos o mercado do peixe para a colônia de pescadores, recuperamos o estádio Nabor Júnior e devolvemos para a liga de desportos, inauguramos um posto de saúde no Corcovado, recuperamos ramais vicinais, entre Tarauacá e Cruzeiro do Sul. Enfim, temos tido trabalho para recuperar nossa cidade, que foi nos entregue acabada. Ah, e tem o Festival do Abacaxi, que nossa gestão resgatou. Foi a maior festa de todos os tempos esse ano. Na área de saúde temos uma novidade: o tele-saúde, capaz de diagnosticar doenças do coração aqui mesmo em Tarauacá. Sem contar a atenção às mulheres na luta contra o câncer. Estabelecemos rapidez no atendimento ao menor sinal de suspeita da doença.

Blog – Então, apesar da pressão a senhora tem dado conta do recado?

Prefeita Marilete Vitorino – Claro, graças a Deus. Mesmo tendo que pagar 1,9 milhão de dívidas da gestão passada, já conseguimos muita coisa. Pior é que parte desse dinheiro, às vezes, já vem seqüestrado, no dia do FPM. Mais são desafios que temos encarar. E eu vou encarar para ajudar a melhorar a vida dos tarauacaenses. Essa é a missão que recebi da população e vou cumpri-la.       

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
22 SP_OUTUBRO 2017

O ex-prefeito de Tarauacá, Cleudo Rocha, tem 57 anos de idade e, acredite, 72 afilhados. Isso mesmo. Ele é compadre de 72 casais, quase todos em seu município. “Tem alguns compadres em Feijó e em Rio Branco, mas são poucos”, diz. Todos os afilhados foram batizados na igreja da Paróquia de São José. Compadre Cleudo não anda cem metros numa rua de seu município sem que alguém lhe tome a benção. Coisa saudável do interior. “Já teve vezes que eu nem me lembrava que era padrinho do cara”, conta, irônico. É que alguns desses afilhados já são vovôs.

Cleudo Rocha é filho de um também ex-prefeito de Tarauacá, o município mais político abaixo da linha do Equador, que se localiza a 408 km de Rio Branco. O pai dele era o professor e delegado de polícia Tupanir Gaudêncio, que administrou a cidade entre 1966 a 1971. Ainda é muito lembrado por duas razões: foi o primeiro a sair da Câmara de vereadores para ser prefeito – só o filho Cleudo também viveu a mesma história; e por ter morrido naquele acidente de avião ocorrido em 1971 em Sena Madureira, no qual morreu também o então bispo da prelazia Acre/Purus, Dom Giocondo Maria Grotti. No mesmo vôo estava também o irmão mais velho do Cleudo, o Cleiber.

Com o pai e o irmão mais velho mortos, Cleudo Rocha passou a ser o único homem da casa, porque dos seis irmãos, quatro eram meninas. Junto com sua mãe, dona Teresinha Rocha, viúva aos 36 anos, ele passou a administrar a fazenda do pai, às margens do rio Tarauacá. “Um dia um professor me perguntou o que eu queria ser quando crescesse e eu respondi na lata: prefeito. Quero ser prefeito de Tarauacá”, conta Cleudo Rocha ao Blog. Dito e feito. Foi primeiro vereador, entre 1988 a 1992. Depois foi prefeito. Como seu pai.

Atualmente, Cleudo Rocha é uma relíquia política, com muito prestígio ainda. Ajudou na campanha do ano passado candidata Marilete Vitorino (PSD), no final eleita. Com a bagagem política acumulada, Cleudo ajuda nos arranjos políticos para dar governabilidade à administração de Marilete. Tudo sempre com muito bom humor, como um bom compadre do interior do Acre. Ele é o presidente do partido da prefeita, o PSD do senador Sérgio Petecão. De certo mesmo é que ninguém morre pagão na efervescente Tarauacá.

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard