Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal
01 / 03

Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal

O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força, reafirmou agora há pouco, em Brasília, o compromisso do partido com a pré-candidatura da procuradora de
02 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
03 / 03
O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força, reafirmou agora há pouco, em Brasília, o compromisso do partido com a pré-candidatura da procuradora de
11 SP_DEZEMBRO 2018

Os fiscais de tributos da prefeitura de Rio Branco, em greve há uma semana e em guerra com o prefeito da capital, Marcus Alexandre (PT), chamaram o senador Gladson Cameli (PP) para uma conversa. Cameli atendeu rápido e já aderiu a causa dos fiscais, que reclamam do tratamento ruim da prefeitura com a categoria. O apoio de Gladson veio em forma de conversa, mas com desdobramentos futuros. Um dos líderes do movimento, Pedro Maia, fez a explanação da situação ao senador.

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
11 SP_DEZEMBRO 2018

O vereador Roberto Duarte Júnior (PMDB) vai questionar na sessão desta terça-feira, 7, as notas de solidariedade assinadas pelo PT e pelos partidos aliados da Frente Popular em favor do prefeito Marcus Alexandre (PT), alegando ter sido ele constrangido ao depor na Polícia Federal. “Eu não vi nenhum partido prestar solidariedade ao povo, que é a maior vítimas dos roubos que acontecem no Acre. O prefeito não é nenhuma vítima. Ele é um investigado por supostos crimes cometidos”, diz o parlamentar. Roberto lamenta a postura dos partidos aliados da Frente, que só pensam em se garantir no poder por mais quatro anos. Roberto vai questionar na sessão de hoje, também, uma mentira que está virando verdade: que Marcus Alexandre foi conduzido coercitivamente. “Ele não foi conduzido coercitivamente. Ele foi convidado a ir depor e foi. Se tivesse se negado, ai sim, seria conduzido. Então é mentira que ele foi constrangido. Ele foi depor porque é investigado”, afirmou.

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
11 SP_DEZEMBRO 2018

 

O senador Gladson Cameli (PP) é o xodó político do momento. Isso é claro quando ele vai às ruas. As pessoas o adoram pelo sorrisão fácil, porque é rico, cheiroso e anda alossé, inadvertidamente, como gente que não deve nada a ninguém. Também é verdade que o adversário dele na disputa pelo Governo, em 2018, é a altura. Marcus Alexandre (PT) não é de andar com os dentes no quarador, mas sua cara de bebê chorão e sua “intimidade” de cafezinho com as pessoas o fazem ser o oponente duro de roer. A diferença é que Alexandre sofrerá o peso de estar com a turma do PT, sua turma, ser de um governo que está no poder há 20 anos, sem mais o que prometer. Tanto não tem que toda eleição a ameaça é a mesma: a do salário atrasado, se a oposição voltar. É tudo o que eles tem para barganhar votos, além do dinheiro, que sempre aparece na campanha deles, porque progresso mesmo no Acre não existe, riqueza não existe, emprego não existe. Com o PT só existe emprego para muitas famílias, mas temporários, aquele pelo qual o elemento fica grudado politicamente pelo beiço. Um emprego sem futuro. A famosa camarilha. Mas as pesquisas, se não forem daquelas que a gente já conhece, dizem que o PT corre risco de ganhar outra vez. Pois se for verdade eu já sei: é a oposição que está outra vez perdendo para si mesmo. Sabe como? Com o famigerado fogo amigo. Justo quando tem a chance de ganhar o Governo só vejo sujeito falando mal do Gladson, achando que precisa ser beneficiado por alguma coisa para poder promover a mudança política no Estado. Resultado: o camarada vai falar mal do Gladson até ele perder a eleição e, depois, vai ter que passar mais quatro anos falando mal do PT, como já é o costume. Ou seja: dá para entender como são as pessoas e os “pessoal?”, como diria um amigo meu. A sorte da oposição é que pesquisa eleitoral e risco n’água tem a mesma validade aqui no Acre. E outra: mesmo que essa pesquisa tenha sido para dar uma aliviada no prefeito em decorrência de sua condução coercitiva para depor na Polícia Federal pelos rolos das estradas, não deixa de ser um alerta para a oposição.  

 

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
11 SP_DEZEMBRO 2018

 

O deputado estadual Heitor Júnior (PDT), conhecido pela defesa dos doentes de hepatites, saiu em defesa hoje cedo do prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT), conduzido coercitivamente pela Polícia Federal, nesta segunda-feira, 31, para prestar depoimentos sobre as obras da BR-364. “Confio na dignidade e honestidade do prefeito Marcus Alexandre Ele vai provar sua inocência. A condenação pública sem julgamento é uma afronta ao Estado Democrático de Direito, fere os princípios jurídicos, além de trazer uma desmoralização familiar sem precedentes”, afirmou o deputado ao Blog do Evandro Cordeiro.       

 

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
11 SP_DEZEMBRO 2018

O deputado Nelson Sales (PP) disse ao Blog do Evandro Cordeiro agora há pouco que o PT tenta, desesperadamente, transformar em político um caso de polícia, a Operação Buracos, da Polícia Federal, que levou o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT), a prestar depoimento sob coerção. A operação investiga suspeita de corrupção nas obras da BR-364, comandadas pelo então diretor do Deracre, o atual prefeito. O parlamentar criticou a atitude da Frente Popular e do governo, que fez pouco caso da polícia ao promover atos políticos, como se Alexandre fosse vítima de perseguição. “Era para eles ficar caladinhos, esperando o resultado. Se for inocente, faz a festa. Mas e se não for?”, diz o deputado. Pior, segundo Nelson, é que os acreanos é que pagam a conta dos atos públicos em favor do prefeito, uma vez que os servidores param de trabalhar para atender os chamados políticos.         

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard

Socialize