Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal
01 / 03

Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal

O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força, reafirmou agora há pouco, em Brasília, o compromisso do partido com a pré-candidatura da procuradora de
02 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
03 / 03
O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força, reafirmou agora há pouco, em Brasília, o compromisso do partido com a pré-candidatura da procuradora de
22 SP_JUNHO 2018

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, 40 anos, herdou do pai, o ex-deputado e empresário Idelfonso Cordeiro, morto em desastre aéreo em 2002, aquilo que bem caracteriza o povo juruaense: a simpatia e a espontaneidade. Ele acumulou experiências sendo vice-prefeito, no mandato da ex-prefeita Zila Bezerra (2007/2010), e no exercício de um mandato de deputado federal (2009/ 2012).

Cometeu equívocos que o levaram ao ostracismo, mas subitamente, nas eleições de 2014, recuperou seu prestígio com os quase 14 mil votos conquistados na disputa para tentar reconquistar uma cadeira na Câmara dos Deputados. Foi uma votação tão expressiva que lhe reinseriu no cenário político.

Perguntado sobre quase tudo de sua gestão, respondeu tudo, inclusive que não tem padrinho político. Ele conserta alegando que tem pessoas que lhe ajudaram a chegar no poder. Sobre padrinho é mais lacônico: “Não tenho padrinho, tenho um pai que é Deus”. Em entrevista ao repórter Jorge Natal, ele fala pela primeira vez sobre sua gestão, ao menos de forma mais longa. Vaje a entrevista:

Repórter – Passados um ano e três meses, como o senhor avalia a sua gestão?

Ilderlei – Em primeiro lugar, quero agradecer a Deus por administrar o município onde nasci e cresci. Para mim é uma honra e um orgulho ser prefeito desta cidade tão querida e amada. São muitos os desafios. Estou pedindo a Deus sabedoria e saúde para cuidar da nossa cidade, buscando soluções para as demandas. Tivemos um ano atípico, inclusive enfrentamos a maior alagação de todos os tempos. Recebi o município com muitas pendências, principalmente no que se refere à pavimentação.

Poucos prefeitos se preocuparam com os serviços de qualidade e recapeamentos. Recebi um município com uma estrutura muito grande. Isso requer gastos com manutenção e pagamento de servidores. Tivemos que fazer manutenção em praticamente todas as máquinas e equipamentos. Tivemos que trocar pneus de todos os veículos, por exemplo. Não temos caixa para manter aquela estrutura e investir na cidade. Foi preciso enxugar a folha de pagamento, inclusive reduzindo o meu salário e de todos os nomeados em mais de 20%. Mas agora estamos colocando a gestão nos trilhos. Já avançamos muito, graças a Deus.

Repórter– A população tem reclamado muito, notadamente quando o assunto é buracos, recolhimento de lixo e iluminação pública. O que o senhor tem a comentar sobre isso?

 

Ilderlei – Com relação aos buracos, as gestões anteriores não se preocuparam em recapear as ruas. Nos já fizemos esse trabalho na Boulevard Thaumaturgo, na rua principal do Morro da Glória, nas ruas próximas ao Instituto Santa Terezinha e nas imediações da garagem da prefeitura. Também iniciamos uma operação tapa-buracos que ainda não parou. Infelizmente, com as proximidades do final do ano, não podíamos mais comprar asfalto porque a prioridade era pagar o funcionalismo. As gestões anteriores jogavam barro e restos de construção, que eram levados com as primeiras chuvas. Com o apoio de um empresário da cidade, decidimos fazer uma mistura e passamos a tapar os buracos com concreto, o que tem se mostrado bastante eficaz. Também abrimos novas ruas em locais onde só existiam trapiches, principalmente no bairro Miritizal. O mesmo serviço também foi feito no projeto Santa Luzia, nas proximidades do Cruzeirão e no Saboeiro. Quanto ao recolhimento do lixo, priorizamos a educação ambiental para que a população pudesse fazer a sua parte. Infelizmente, algumas pessoas não têm a paciência de acondicionar o lixo para ser recolhido nos dias certos. Por causa disso, mudamos a lei de resíduos sólidos e, a partir deste mês, aquelas pessoas serão autuadas, caso insistam em não colaborar com a prefeitura. Quanto à iluminação pública, nós não temos parado. Nossa equipe está todo dia nas ruas trocando lâmpadas, que, infelizmente, têm pouca durabilidade. Iremos trocar todas por led que trará economia para o município. Ampliamos ainda redes que não existiam, como é o caso de alguns bairros e vilas do nosso município, bem como a estrada que dá acesso ao aeroporto.

Repórter – O senhor aumentou ou criou uma taxa de recolhimento de lixo?

Ilderlei – A arrecadação antiga, que era cobrada junto com o IPTU, estava defasada e o valor não chegava a R$ 800 mil. Esso quantia é irrisória para custear o serviço no município. Detalhe: esse valor é para coletar o lixo doméstico. Fizemos um reajuste na tabela e o retiramos da cobrança junto com o IPTU. Agora, cada residência cadastrada, já temos 11 mil, terá o seu imposto específico. Também faremos o recadastramento imobiliário, o que aumentará significativamente o número de residências. No ano passado, infelizmente, apenas 30% desses contribuintes pagaram a taxa, que gerou um valor um pouco acima de R$ 200 mil. E aí vem aquela pergunta que não quer calar: cobram do gestor uma cidade limpa e organizada, mas não colaboram como cidadãos e munícipes. A nossa despesa mensal com esse serviço gira em torno de R$ 450 mil. Como fechar essa conta? É muito fácil criticar ou cobrar.

Repórter – O município já aprovou o plano de saneamento básico e resíduos sólidos?

 

Ilderlei – Isso foi um desafio muito grande. Esse tema é urgentíssimo e de grande importância, mas não priorizado pelas gestões anteriores. Tivemos que organizar a nossa equipe e dotá-la de condições para a execução dos trabalhos. Talvez sejamos o único município do Brasil que teve a ousadia de fazer os dois planos juntos. Aprovamos o de resíduos sólidos e estamos finalizando o de saneamento básico, que deve ser aprovado agora em maio. Devido a esse diagnóstico e apontamento de soluções, acredito que teremos uma cidade mais limpa, organizada e sustentável. Firmamos uma parceria com a organização não- governamental CBCN, uma entidade da Universidade de Viçosa que tem uma larga experiência nesta área.

Repórter – Quais foram as intervenções que a prefeitura fez na zona rural?

 

Ilderlei – Nos ramais fizemos algo que nunca existiu em gestões anteriores. Reunimo-nos com as organizações sindicais, com o governo do Estado e o Incra e traçarmos um plano de intervenção nos ramais. As gestões anteriores recuperavam, no máximo, cerca de 100 quilômetros. No ano passado, para a glória de Deus, atingimos 320 quilômetros de ramais. Ficamos responsáveis pelo Ramal 2 e alguns fundiários, além da sede do projeto Santa Luzia e do acesso à Praia Grande, Olivença e fomos até o São Luiz que fica no município de Guajará. Depois, o Badejo do Meio, Badejo de Cima, BR 307, Santa Luzia do Pentecoste, Japãozinho, Buritirana, Mariana, Ramal dos Paulinos e estrada do Canela Fina. Também tivemos a preocupação de qualificar os nossos produtores, oferecendo-lhes cursos técnicos e de boas práticas de pimenta-do-reino, cana-de-açúcar, produção de guaraná, café, piscicultura, açaí, entre outras culturas. Neste ano, vamos dar prosseguimento a outras qualificações e fazer outras etapas dos cursos já realizados. Temos uma emenda parlamentar do deputado Alan Rick para comprar equipamentos para os produtores de cana e farinha. Temos inúmeros parceiros e entidades nos apoiando nestes projetos. Eu creio que até o final da nossa gestão estaremos colhendo os frutos, ou seja, gerando emprego e renda para a nossa população. Este ano mesmo eu coloquei uma emenda para comprar roçadeiras para os agricultores.

Repórter– E as ações em saúde?

Ilderlei – Nos fizemos algo importantíssimo que nenhuma outra gestão se preocupou: criamos a central única de medicamentos. Com essa medida, passamos a ter um controle mais rígido e uma equipe técnica que a lei exige. Todos os medicamentos que os médicos prescrevem, que são de responsabilidade da atenção básica, graça a Deus, a gente tem atendido. Melhoramos o nosso centro de diagnósticos, dotando-o de equipamentos modernos. Saímos de 110 mil exames para 220 mil anuais. Isso é uma ação boa? Sim. Mas é um fato negativo porque é a comprovação de que a nossa população está doente. Também assumimos a malária, municipalizando o serviço e estamos fazendo o possível para diminuir os índices. Temos melhorado as condições de trabalho dos profissionais em saúde e levando o serviço com muita frequência para a zona rural. Estamos investindo 20% da nossa arrecadação com esse setor tão essencial para a qualidade da nossa população.

Repórter – E a educação também é uma prioridade?

 

Ilderlei – Há mais de dez anos, os gestores anteriores não cuidavam com a devida atenção das escolas da zona urbana. Era muito triste a situação. É só ver o depoimento de diretores e professores. Juntamente com o meu vice, o Zequinha Lima, lançamos o programa Escola Dez, que cuida do ambiente de trabalho e da qualidade do ensino. Reformamos, ampliamos e readequamos 17 escolas na cidade e mais algumas na zona rural. Além disso, com recursos do Fundeb, fizemos a cobertura de oito quadras esportivas. Nos próximos meses, mais três serão cobertas com recursos de emendas parlamentares. Isso é compromisso de campanha e com os bens públicos.

 

Repórter – A violência é uma triste realidade no município. O que a prefeitura está fazendo para evitar que os jovens sejam tragados pelo consumo e tráfico de drogas?

 

Ilderlei – Esse foi um dos meus principais compromissos de campanha. Estamos dando oportunidades para estagiários nas nossas repartições. Estamos concedendo bolsas remuneradas para mais de 20 jovens. Mas também temos ações no esporte, na cultura e no lazer. Resgatamos o Festival da Farinha, que não era realizado há 17 anos, e que trouxe um movimento cultural e turístico para a nossa cidade. Aumentamos os recursos da Lei de Incentivo à Cultura, incrementando mais projetos em quase as modalidades artísticas, dando oportunidades a novos talentos. No esporte, nenhuma gestão fez um campeonato com o vôlei. Também investimos no MMA, jiu jitsu, corridas pedestre e ciclística. Estamos apoiando as escolinhas de futebol. Tudo isso está tirando a juventude da ociosidade e do mundo das drogas. O esporte, a cultura e o lazer são ações de inclusão social. Também estamos concluindo a revitalização do balneário Igarapé Preto. Estamos com uma parceria com o Sesc para que as pessoas conheçam aquela estrutura. Recentemente, convidamos todos os prefeitos do Acre para vir para o lançamento do programa Internet Para Todos e eles se hospedaram lá. O Crôa também tem um grande potencial turístico. Firmaremos parceira com os moradores e, se Deus quiser, recapearemos aquela entrada para dar melhorar acesso ao local. Também estamos lutando para ter um voo semanal entre Cruzeiro do Sul e os nossos irmãos peruanos, o que vai incrementar o turismo na nossa região.

Jornalista – A administração pretende fazer concursos públicos?

Ilderlei – Gostaríamos muito, inclusive para diversas áreas. No entanto, existe um gargalo que impede isso: nós recebemos o município com 62% da receita comprometida com a folha de pagamento. A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) diz que só pode contratar servidores se esse índice estiver abaixo de 52%. Esse é o nosso maior gargalo. Isso trava tudo, inclusive financiamentos para melhorar a nossa cidade. Se administração fizer recapeamentos e obras estruturais bem feitas, pagaríamos o financiamento com o dinheiro do tapa-buracos. Esse é a minha visão de gestor. Quero economizar e resolver os problemas do município.

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
22 SP_JUNHO 2018

O prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT), estaria procurando uma casa para alugar em Cruzeiro do Sul, onde pretenderia morar por pelo menos um mês nos próximos dias. Quem deu a informação ao Blog do Evandro Cordeiro foi um militante antigo da Frente Popular que, obviamente, não quer seu nome revelado. A mudança de cidade tem uma razão: Marcus é pré-candidato a governador pelo PT e, segundo as últimas pesquisas de consumo interno, só ameaça a oposição em Rio Branco, mas é fraquíssimo no interior, principalmente no Juruá. Por causa dessa deficiência é que estaria interessado em “dar uma morada” na cidade que abriga o segundo maior colégio eleitoral do Acre. Caso o prefeito alugue a casa antes da data eleitoral estabelecida pela Justiça para ele “abandonar” a prefeitura em detrimento de sua candidatura ao Governo, ele enfrentará duras críticas, além das que já sofre. Lideranças da oposição afirmam estar de olho nas “espertezas do PT”.

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
22 SP_JUNHO 2018

 

Os presidentes de colônias de pescadores de todo o Acre estão reunidos desde ontem, 24, em Cruzeiro do Sul, onde participam do Seminário de Planejamento do setor pesqueiro. A Federação dos Pescadores do Acre e o Escritório Federal de Aquicultura e Pesca-MDIC, coordenado pela Kelly Kley, promoveu o encontro para dar sequência ao projeto de organização da classe, enxovalhada por denúncias referentes a 2013 e 2014 e a suspensão do defeso de 2016. A Pesca e Aquicultura saiu do Ministério de Pesca e Aquicultura em 2015, entrou no MAPA em 2016 e no mesmo ano teve a portaria número 11, que suspendeu quase 6 mil pescadores no Acre. A gestora decidiu mudar a história da instituição e hoje todos os processos mudaram de curso. “É tudo informatizado. Toda documentação é registrada, toda manutenção de pescador que é obrigatório anual é feito de forma informatizada”, diz ela.

 

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
22 SP_JUNHO 2018

O município de Cruzeiro do Sul, a 600 km de Rio Branco, está tão violento quanto a capital. Essa semana os bandidos chegaram a tocar fogo em duas viaturas. Mas a calmaria tomou conta outra vez, segundo o comandante da Policia Militar, Major Lázaro Moura. Ele disse ao Blog do Evandro Cordeiro que a reação da polícia, com “muitas prisões” efetuadas essa semana freou a bandidagem. “Prendemos muita gente envolvida diretamente nos crimes, no incêndio das viaturas e isto trouxe certa calma. Portanto, os momentos mais críticos já passaram”, disse o major.     

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard
22 SP_JUNHO 2018

O II Festival da Farinha de Cruzeiro do Sul foi oficialmente aberto na noite desta quarta-feira, 27. O prefeito Ilderlei Cordeiro (PMDB) e aliados políticos descerraram a fita e deram as boas vindas à comunidade. O evento é parte da programação do aniversário de 113 anos do município, o segundo maior do Acre em população e em economia.

Além de Ilderlei Cordeiro, estiveram no ato de abertura do festival o senador Gladson Cameli (PP), pré-candidato a governador do Acre pela oposição, além do senador Sérgio Petecão (PSD), candidato a reeleição, e Márcio Bittar (PMDB), o outro pré-candidato a senador pelas oposições. Deputados estaduais, federais e prá-candidatos sem mandato, como o tio do prefeito Ilderlei, Rudilei Estrela, prestigiaram o evento.

Publicado em Blog

Informações adicionais

  • Post type Standard

BANNER PP P

Socialize