Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal
01 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
02 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
03 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
14 Nov 2017

Operação Midas III: MPAC investiga uso de notas fiscais frias e contratos falsos na EMURB

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) deflagrou, nesta terça-feira, 14, a Operação Midas III, em Rio Branco. A ação, que teve início nas primeiras horas do dia, contou com o apoio dos delegados Rêmulo Diniz, Pedro Rezende e Odilon Vinhadelli, além de nove agentes da Polícia Civil.

Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão. Os alvos foram duas residências e um escritório de contabilidade.

Segundo os promotores de Justiça Bernardo Albano e Fernando Cembranel, coordenador e membro do Gaeco, a terceira fase da Operação Midas visa aprofundar as investigações, que estão em andamento desde o ano passado.

A Operação revelou um esquema de desvio de recursos públicos na Empresa Municipal de Urbanização de Rio Branco (Emurb), a partir da utilização de notas fiscais frias e contratos falsos para justificar o pagamento por serviços não realizados e insumos que não eram entregues.

No dia 6 deste mês, o Juízo da 4ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco recebeu todas as 12 denúncias oferecidas pelo MPAC contra 23 pessoas investigadas no esquema. Os réus são servidores públicos e empresários, que respondem por peculato, além da acusação de fazerem parte de organização criminosa.

Com informações do MPAC

Escrito por  0 Comentário
Avalie este item
(1 Votar)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.