Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal
01 / 02

Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal

O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força, reafirmou agora há pouco, em Brasília, o compromisso do partido com a pré-candidatura da procuradora de
02 / 02

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
03 Jul 2019
Juventus-1981-Paulão-Duda-Mauro-Neórico-Emilson-e-Normando-Pitolaa-Mariceudo-Antônio-da-Loteca-Nino-e-Paulinho-Ac-FD Juventus-1981-Paulão-Duda-Mauro-Neórico-Emilson-e-Normando-Pitolaa-Mariceudo-Antônio-da-Loteca-Nino-e-Paulinho-Ac-FD

Depois de 43 anos de Acre, onde conquistou quase tudo no futebol, zagueiro Paulão está indo embora

O zagueiro Paulo Roberto, mais conhecido no mundo futebolístico como Paulão, uma vez eleito melhor do Norte em sua posição, está indo embora do Acre, depois de 43 anos. Aos 62 anos de idade, o ex-atleta disse com exclusividade ao Blog do Evandro Cordeiro que está indo se juntar à família no Rio de Janeiro, na companhia de quem terminará seus dias de vida.
Paulão foi revelado pelas categorias de base do Fluminense. Em 1976 foi liberado para vir jogar no Acre com o compromisso de voltar no ano seguinte. Como naquela época jogador se futebol ganhava muito pouco, tanto fazia praticar a bola no Sul quanto no Norte. "Fiquei onde fui muito bem recebido. Criei logo um vínculo com os acreanos e o resultado são mais de 40 anos nessa terra maravilhosa", afirmou.

Paulão veio jogar no Juventus, onde foi bi campeão. Depois ganhou muitos título no Independência e até no Atlético Acreano. Na carta a seguir que escreveu ao Blog, o jogador relata suas venturas e desventura no Acre. Fala da tristeza de estar indo embora e insinua um dos motivos. Veja a seguir o que esse campeão, formador de atletas através de suas escolinhas, escreve antes de deixar o Acre:

Caro amigo Evandro Cordeiro, na realidade estou muito triste, obviamente, ao mes despedir dos acreanos. São 40 anos aqui em Rio Branco e eu abracei o Acre como minha família. tenho muitos amigos aqui e isso acaba se tornando uma família, né. As pessoas aqui são muito próximas umas das outras e a gente aprende a se conhecer, aprende a viver com povos diferentes, com línguas diferentes e tudo aquilo de bom que eu precisava talvez na vida de paz, tranquilidade. Nunca fui uma pessoa de bagunça, sempre fui um cara, graças a Deus, muito tranquilo. Eu me encontrei aqui em Rio Branco. Isso aqui é uma cidade que escolhi para viver e sou muito grato por tudo o que o Acre me proporcionou. Praticamente foi meu pai. Me abraçou também né e eu me sinto realmente seguro, me sinto em paz ao lado dessas pessoaS maravilhosas, incluindo você, que foi uma das pessoas que eu tenho maior carinho, maior respeito por tudo. Mas é assim: a vida ela tem um certo destino que a gente às vezes tem que cumprir. Meu trabalho aqui fora do futebol e das escolinhas, foi de segurança, um trabalho que você observou, é um trabalho realmente de risco, mas eu vou conseguir sobreviver graças a Deus fora do Acre. Me sinto triste tambem porque eu trabalhei muito em campanha política e nunca fui reconhecido, né. esperando um espaço melhor para que alguém pudesse né desses que foram eleitos ajudar em alguma coisa sabe a melhorar alguma coisa eu de verdade só tenho despesa muita despesa e eu agora entrei num sabe numa fase assim financeira muito difícil e eu sinto até vergonha né sinto até vergonha de relatar de falar isso mas eu nunca tive rabo preso eu prefiro dizer a verdade para as pessoas então aqueles que podiam eles deveriam me dar atenção né deixou de lado né e eu fico me sinto mal né conta essa questão por isso eu coloquei minha casa à venda e resolvi voltar para o seio da minha família que aí eu tô tranquilo né incomoda ninguém. Eu sou um cara muito muito fechado em certas situações e eu espero que tudo corra bem, voltando lá para o cantinho da minha família tranquilo como diz o outro. Eu tenho onde ficar, graças a Deus. Não vou ficar jogado. Vou sentir muita falta daqui de Rio Branco, mas a vida segue e eu sou muito grato aquelas amizades que fiz. Eu não vou esquecer nunca. Então me sinto bem e vou levar comigo dentro do meu coração e assim que eu vender a minha casa eu estarei seguindo em frente. Deus te abençoe e um forte abraço e muita paz. Adeus povo do meu querido Acre.

 

 

Escrito por  2 comentários
Publicado em Blog
Avalie este item
(3 votos)

2 comentários

  • Link do comentário Raimundo José  saldanha Rodrigues postado por Raimundo José saldanha Rodrigues Quarta, 03 Julho 2019 21:32

    Verdade, esta entre os melhores do Acre e de nosso norte. Poderia sim ter jogado em vários locais de nosso Brasil. Quem sabe que alguém lendo faça justiça. E lhe dê uma condição de trabalho, pois deve ter muitos votos para ajudar em lhe ajudar politicamente.

    Relatar
  • Link do comentário paulinho postado por paulinho Quarta, 03 Julho 2019 17:08

    obrigado por tudo que foi feito aqui no nosso estado professor Paulão.
    ass.paulinho atacada seleção acreana que foi treinada pelo senhor na época nos anos 2000.

    Relatar

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.