Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal
01 / 03

Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal

O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força, reafirmou agora há pouco, em Brasília, o compromisso do partido com a pré-candidatura da procuradora de
02 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
03 / 03
O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força, reafirmou agora há pouco, em Brasília, o compromisso do partido com a pré-candidatura da procuradora de
13 Abr 2019

Líder do Governo avalia CPI e primeiros cem dias: “A oposição só quer palco com essa CPI; estamos colhendo frutos da corrupção petista”

O deputado estadual Gerlen Diniz (Progressistas), líder do Governo na Assembleia Legislativa, é conhecido por falar pouco. Mas quando fala, além do português rebuscado, não faz arrodeio para alcançar seu objetivo. Numa entrevista ao Blog do Evandro Cordeiro na manhã deste sábado, 13, por exemplo, convidado a avaliar os cem primeiros dias de gestão Gladson Cameli (Progressistas) e a tentativa da oposição de criar uma CPI para supostamente investigar a conta de energia que o acreano vem pagando, ele, digamos, colocou todo mundo em seu lugar. “É cômico vê deputado que ajudou a aumentar o ICMS sobre a energia querer CPI”, diz. A seguir veja o bate papo na íntegra:  

 

Blog - Deputado qual o balanço que a liderança do Governo faz da semana? Principalmente em relação a badalada CPI da conta de luz?

 

Gerlen Diniz - Semana bastante agitada com a articulação da oposição tentando criar uma CPI para ter palco, já visando as eleições municipais, mas faz parte do jogo. Contudo, acho desleal com a população, criar no seio da sociedade a expectativa de que uma CPI vai baixar a conta de energia elétrica. O máximo que uma CPI faz é produzir um relatório com suas conclusões e entregar o mesmo ao Ministério Público. É até cômico, ver deputados responsáveis pelo aumento do ICMS sobre a conta de energia elétrica, que foi majorada para até 25% no governo de Jorge Viana do PT, arguirem agora uma suposta cobrança indevida.

 

Blog - O que o senhor acha dessa CPI? Ela teria pano de fundo político por acaso?

 

 

Gerlen Diniz - Toda CPI é política, aqueles que estão fora do poder usam esse instrumento para atacar e desgastar os que estão no poder. Infelizmente alguns deputados de primeiro mandato não entendem isso, tem medo de serem vistos como traidores se não assinarem qualquer pedido que a oposição lhes apresenta, principalmente um que tem tanto apelo popular quanto às queixas em razão dos aumentos abusivos nas contas de luz. Ocorre que o aumento na conta de luz se deu principalmente em razão da privatização da empresa, que só foi privatizada porque estava falida, tinha se tornado um passivo de bilhões.

Nesse ponto,  vimos a extrema hipocrisia da oposição, que é acusar os atuais governos, federal e estadual pela venda da Eletrobrás por R$ 50.000,00, quando na verdade esse valor é apenas simbólico, pois a empresa compradora assumiu um passivo de bilhões de reais da empresa comprada, ou seja, eles(Lula, Dilma e seus apoiadores) faliram a Eletrobras, retirando bilhões de reais da mesma e emprestando para países não confiáveis(Venezuela, Cuba e Moçambique), mas alinhados com sua ideologia de esquerda, e os integrantes locais e nacionais dos partidos de esquerda ainda têm a desfaçatez de acusar os atuais governantes por essa privatização. Hipocrisia barata!

 

Blog - Como o Governo Gladson pretende e pode resolver essa situação em relação ao de fato exorbitante preço da energia?

 

Gerlen Diniz - Essa não é uma questão fácil. Reduzir a cobrança no ICMS pode comprometer a governabilidade, pois já em dezembro passado o então governo chegou ao fundo do poço ao não pagar os salários dos servidores, e isso sem abrir mão de nenhuma receita.

 

Blog - A chiadeira contra o Governo nas redes sociais parte de quem, deputado?

 

Gerlen Diniz - As redes sociais expressam fielmente o sentimento da população. Todos estão revoltados com os aumentos nas contas de energia elétrica. Então é natural que procurem um responsável para descarregar a indignação. Ocorre que os responsáveis não estão mais no poder, foram varridos pelas urnas em outubro passado. Mas a semente de corrupção e ingerência no estado e no país geraram esses frutos que colhemos hoje. Quem não lembra a redução de 17% na conta de Luz, praticada por Dilma às vésperas da eleição, visando tão somente se reeleger, pois é, mais uma ação que contribuiu para a quebra da Eletrobrás e posterior privatização.

 

Blog - A recriação da Secretaria de Relação Institucional vai lhe ajudar nesse jogo da relação com os aliados e até com a Assembleia Legislativa?

 

Gerlen Diniz - Em breve o Governo irá apresentar uma reforma administrativa a ALEAC. Isso é algo perfeitamente normal, pois assumimos um Estado que estava nas mãos do mesmo grupo político há 20 anos, e somente após o efetivo exercício do poder é possível perceber o que ainda precisa ser ajustado, corrigindo o que a reforma da Lei Complementar 355 não alcançou.

Quanto a criação da citada secretaria, caso seja objeto dessa reforma, somente após a efetivação dos seus representantes poderemos avaliar o quão importante será o papel da mesma.

 

Blog - Que avaliação o senhor faz dos cem primeiros dias do Governo Gladson?

 

Gerlen Diniz - Foram 100 dias de muitos desafios, mas também de muitas realizações. Cito como exemplo a convocação para realização do curso de formação dos aprovados nos concursos da PM e Polícia Civil, que estavam esperando há dois anos. A redução nos índices de homicídios no estado, que teve uma queda de 25% nos três primeiros meses de 2019, comparado com o mesmo período de 2018. Os pagamentos em dia dos fornecedores do Estado, que há meses não eram pagos pelo governo antigo. O pagamento de salários atrasados dos profissionais do pró saúde.

O pagamento do 13° salário dos servidores que tinham até R$ 1.700,00 para receber, o que corresponde a 50% dos servidores. Os demais irão receber mensalmente até o mês de outubro. A economia nas diversas entidades, dentre elas o DETRAN, que gastou R$7,5 milhões a menos em três meses, comparando-se com o mesmo período do ano passado.

A aprovação da Lei de subvenções, que permitiu ao Estado repassar recursos para as diversas entidades de assistência. Recurso esse que não era repassado desde agosto de 2018. A aprovação da mudança na Lei complementar 58, que corrigiu uma excrescência legislativa, que impedia um professor classificado em 1° lugar no processo seletivo da educação de assinar o contrato caso tivesse lecionado no ano anterior. Enfim, são inúmeras as realizações, mas muito ainda há que ser feito. Vejo um governo humilde, comprometido e que busca acertar mais e mais todos os dias. Somos cientes de que se o governo acerta, quem ganha é a sociedade. Então, embora haja críticas, muitas delas infundadas, como a proferida na tribuna da ALEAC por um deputado que disse que “foram 100 dias jogados fora”, ignorando que estamos saindo do período invernoso.

Escrito por  0 Comentário
Publicado em Blog
Avalie este item
(4 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Socialize