Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal
01 / 03

Paulinho da Força reafirma compromisso com pré-candidatura de Vanda Milani a federal

O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força, reafirmou agora há pouco, em Brasília, o compromisso do partido com a pré-candidatura da procuradora de
02 / 03

Henrique Afonso pode ajudar a cunhada na disputa para federal

O ex-deputado Henrique Afonso (PSDB) não ficará de fora da disputa política em 2018. Se não for candidato, o que é muito provável, vai ajudar
03 / 03
O presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força, reafirmou agora há pouco, em Brasília, o compromisso do partido com a pré-candidatura da procuradora de
01 Mar 2018
Orleir Cameli, o sobrinho Gladson e a secretária Sawana, que lembrou do ex-governador por atrasos de salários Orleir Cameli, o sobrinho Gladson e a secretária Sawana, que lembrou do ex-governador por atrasos de salários

QUANDO O GOVERNO É RUIM ATÉ A DEFESA É CAPENGA Secretária Sawana tenta defender Tião Viana atacando Orleir e Gladson Cameli

 

 

 

 

 

 

O ex-governador Orleir Cameli foi o alvo preferido da secretária de Administração do Estado, Sawana Carvalho, ao usar seu Facebook para criticar este Blog, que publicou, com base em informações de um alto funcionário do Governo, a dificuldade pela qual passa o governador Tião Viana (PT) para pagar os servidores nos próximos meses. Diz a fonte que o desespero é tanto que até dinheiro emprestado está sendo pedido. Isso tudo porque o partido dele, o PT, em 13 anos de gestão, levou o Brasil a bancarrota e o Acre, administrado pela soberba e a boçalidade de uma turma que se viciou nos cofres estatais, foi junto.

A secretária, ansiosa para defender a plêiade petista, fez os choramingos naturais, cacetou este repórter, desqualificou o humilde meio de comunicação, ao dizer que este é sustentado pela oposição, talvez por não ter olhado para a lista de patrocinadores, que pagam seus espaços – e bem pagos – por conhecerem o alcance, mas apelou para um outro alvo digamos mais suscetível à sua vingança: o finado ex-governador Orleir Cameli. Sobre este ela lembrou dos cinco meses de salário atrasados que deixou em 1998, quando entregou o Governo a Jorge Viana, acertou o sobrinho dele, senador Gladson Cameli (PP), a quem chamou de preguiçoso. E acredite: a emenda só não saiu pior que o soneto porque alguém deve ter lembrado a ela dos supostos acordos feitos entre Orleir e os irmãos Viana, na boca da noite, antes das eleições daquele ano. Um parente muito próximo da Sawana sabe dessa história. Ele fazia parte daquele Governo. Ai ela, de pressa, aliviou pro Orleir, dizendo que, pelo menos, o "barão" era trabalhador. “O tio era trabalhador, o que não se pode dizer do sobrinho”, diz, com picardia, para acertar Gladson Cameli, a ameaça real do status quo já viciado nas tetas estatais.

Como vou publicar o texto dela ai adiante, não vou mais escrever nada. Apenas pedir a quem vai dar uma lida para que preste a atenção em um detalhe: ela escreveu, escreveu e acabou não desmentindo o que foi publicado pelo Blog do "Lobo". Pelo contrário. Reafirmou as dificuldades financeiras. Em outras palavras ela quis dizer o seguinte: olha, realmente não sabemos como vamos pagar os servidores nos próximos meses, mas não vamos espalhar isso, por favor. E se for para não gerar um caso antecipado, sabe que ela tem razão. Nesse Governo do PT falta tudo, principalmente a humildade.     

Ah! Antes que eu esqueça: ela não recebeu postagem coisa nenhuma sobre nosso Blog, ela abriu o evandrocordeiro.com, como faz muita gente boa toda manhã. E ela é gente boa. 

  

OLHA O QUE A SECRETÁRIA SAWANA ESCREVEU EM SEU FACEBOOK

 

Torcer pelo atraso de salário é gol contra

 

Recebi postagem de um colunista local afirmando, sem a menor base, que o governador Tião Viana estaria “desesperado por não saber como pagar servidores a partir de abril”.

Quem conhece esse o cordeiro, sabe que não merece ser levado a sério. Sabe também que pretende ser um lobo na defesa daqueles que lhe garantem o sustento.

É justo defender a própria sobrevivência. O que não é justo é brincar com coisa tão séria.

O que tenho visto é que, nos últimos dias, tem sido comum publicações em sites pagos pela oposição sobre a suposta dificuldade financeira do Estado. Está claro onde os pregadores do caos querem chegar.

Fato é que o Acre, como a maioria dos estados brasileiros, passa por dificuldade no tocante ao custeio da sua máquina, mas está longe da situação vivida por outras unidade da federação, embora tenha deixado de receber mais de R$ 1 bilhão, desde 2011.

O que espanta, entretanto, é essa torcida pelo não pagamento do funcionalismo público. Quem age dessa forma, com tanto fanatismo, não tem a menor noção pelo o que torce.

Você já pensou como ficaria a economia mensal deste Estado sem o incremento de quase R$ 250 milhões?

É melhor nem pensar.

Ao contrário do que tentam vender, a verdade é que, com muito esforço e com equilíbrio das suas contas, o governador Tião Viana tem conseguido manter os salários em dia e conceder reajustes.

Para se ter uma ideia, em janeiro de 2011, a folha de pagamento do funcionalismo era de R$ 124,3 milhões. Atualmente é de quase R$ 250 milhões.

Há dificuldades para honrar o pagamento? Sim, há! Mas intempéries são para se superadas por quem tem a capacidade de liderar.

Considero importante deixar claro que a cultura de atrasar pagamento salarial não é deste governo, desse projeto.

A história mostra que em 1999, o primeiro governo da Frente Popular herdou um funcionalismo com até cinco meses de salário atrasado. O governador era o tio do principal candidato da oposição ao governo. E justiça seja feita: o tio era trabalhador, o que não se pode dizer do sobrinho.

Também merece destaque lembrar que as maiores dificuldades no custeio hora enfrentadas são oriundas dos gastos com a previdência estadual.

Se a partir de hoje não houvesse mais nenhuma aposentadoria, o governo teria que desembolsar do tesouro R$ 416 milhões, até o fim do ano, para pagar aposentadoria.

São aposentados que ingressaram na administração pública, sem concurso público, principalmente, nas administrações, dos medebistas Nabor Júnior e Flaviano Melo. Que fique o registro na história.

Como falar de aposentado sem lembrar que, também no governo do tio do pré-candidato oposicionista, foi extinto o Fundo Previdenciário sob o pretexto da construção de casas populares?

Os imóveis viraram canto de sabiá. O rombo previdenciário, que hoje superaria R$ 1,2 bilhão, permaneceu.

O processo democrático é salutar, mas o que fica feio é torcer para o quanto pior, melhor.

O governo liderado por Tião Viana vai seguir trabalhando muito para, não só pagar salario em dia, mas continuar fazendo com que o Acre permaneça avançando na construção de uma sociedade que concilie desenvolvimento econômico, conservação e bem-estar social.

E que a torcida dos cordeiros, lobos e aves de mau agouro não logre êxito.

A impressão que fica, ao ver a torcida do contra, que sentem saudade daquela época em que nas portas dos botecos e mercearias tinha placas com os seguintes dizeres: “Não vendemos fiado para servidores públicos”.

Escrito por  1 Comentário
Publicado em Blog
Avalie este item
(2 votos)

1 Comentário

  • Link do comentário Maria das Graças  Costa Silva postado por Maria das Graças Costa Silva Quinta, 01 Março 2018 17:32

    A Secretária Sawana foi muito feliz nas suas palavras. Explicou de forma clara a situação do nosso Estado.
    Parabéns Secretária pela firmeza, coerência e transparência nas suas palavras.

    Relatar

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

BANNER PP P

Socialize